Skip to content

COMPROMISSO COM A INDÚSTRIA DE ÓLEO E GÁS NACIONAL

Quem é a Total E&P do Brasil? É a empresa do Grupo Total que atua no setor de Exploração e Produção (E&P) de óleo e gás brasileiro.

Nos últimos anos, a Total ampliou de forma significativa a sua presença no país e está consolidando as suas operações e investimentos, tendo em vista o potencial da indústria local e o seu compromisso de longo prazo com o Brasil.

Atualmente, a Total possui um portfólio robusto e diversificado, com foco em águas profundas, composto de 24 blocos de E&P ao longo de sete bacias da costa brasileira, sendo 10 deles como operadora. 

A Total é uma das principais produtoras internacionais de óleo e gás no Brasil e tem a meta de elevar sua produção local para 150.000 barris/dia até 2025, tendo em vista o portfólio de E&P construído nos últimos anos.

Entre seus principais ativos estão o Campo de Lapa, onde a Total se tornou a primeira empresa internacional a operar um campo em produção no pré-sal brasileiro, o Campo de Mero, um dos principais campos produtores de petróleo do país, e os campos da área de Iara, todos localizados no pré-sal da Bacia de Santos. Além do promissor Bloco C-M-541, adquirido em 2019 e localizado no pré-sal da Bacia de Campos.

Em 2017, a Total E&P do Brasil firmou Aliança Estratégica com a Petrobras, fortalecendo a cooperação técnica em operações, pesquisa e tecnologia, além de desenvolver novas sinergias de negócios entre as empresas.

EXPERIÊNCIA EM ÁGUAS PROFUNDAS

Reconhecida por sua ampla experiência em águas profundas, sobretudo na costa oeste da África, a Total traz seu conhecimento técnico para o Brasil. Superar desafios e desenvolver tecnologia para operar com eficiência e segurança em poços a mais de 2.000 metros de profundidade é uma das maiores forças da empresa e um dos pilares da sua estratégia de negócio. 

O potencial do pré-sal brasileiro vem ao encontro dessa estratégia, tornando o Brasil um país chave para o crescimento do Grupo Total. A Total E&P do Brasil possui participação em alguns dos principais projetos do pré-sal da Bacia de Santos e da Bacia de Campos, podendo compartilhar o seu conhecimento no setor de águas profundas com seus parceiros e contribuindo para o desenvolvimento desses ativos de grande potencial. 

Quer saber mais sobre a atuação do Grupo Total em águas profundas? Acesse aqui 

 

Total Brasil

NOSSOS PRINCIPAIS PROJETOS DE E&P 

Campo de Lapa – Em 2018, a Total adquiriu 35% de participação como operadora no Campo de Lapa e se tornou a primeira empresa internacional a operar um campo de produção no pré-sal brasileiro. O Campo de Lapa produz por meio do FPSO Cidade de Caraguatatuba, com capacidade de produção de até 100 mil barris de petróleo por dia. Em 2020, a Total concluiu a sua primeira campanha de perfuração como operadora em Lapa. São parceiras do consórcio as empresas Shell (30%), Repsol Sinopec (25%) e Petrobras (10%).

Bloco C-M-541 - Em outubro de 2019, a Total expandiu sua presença como operadora no pré-sal brasileiro ao adquirir 40% de participação no Bloco C-M-541, na 16ª Rodada de Licitações realizada pela Agência Nacional de Petróleo do Brasil (ANP). O bloco fica localizado na Bacia de Campos e o consórcio prevê a perfuração do primeiro poço exploratório em 2021. São parceiras do consórcio as empresas Qatar Petroleum (40%) e Petronas (20%).

Campo de Mero (Libra) – A Total integra, com 20% de participação, o consórcio de Libra, um dos maiores projetos de produção de óleo e gás já desenvolvidos pela indústria global de E&P. A produção de Libra foi iniciada em 2017, no Campo de Mero (localizado na área noroeste), com o FPSO Pioneiro de Libra. Como próxima etapa de desenvolvimento do ativo, está prevista a entrada em operação de três FPSOs de grande porte, com capacidade de 180.000 barris/dia, entre eles o FPSO Guanabara, previsto para 2021. São parceiras do consórcio de Libra as empresas Petrobras (40%, operadora), Shell (20%), CNPC (10%) e CNOOC Limited (10%).

Campos de Sururu, Berbigão e Atapu (Iara) - Em 2018, a Total adquiriu participação de 22,5% na área de Iara. A licença compreende os Campos de Sururu, Berbigão e Oeste de Atapu. A produção foi iniciada em novembro de 2019, quando foi anunciado o primeiro óleo com o FPSO P-68, que atua nos campos de Berbigão e Sururu. Em junho de 2020, foi iniciada a produção do segundo FPSO de Iara, o P-70, unidade que opera no Campo de Atapu. Cada um dos FPSOs opera com capacidade de 150.000 barris por dia. São parceiras do consórcio a Petrobras (42,5%, operadora), Shell (25%) e Petrogal (10%).

Total Brasil